terça-feira, 18 de junho de 2013

Seguro Viagem para o Ciência Sem Fronteiras #02

Universidade de Mulheres Ewha, em Seul, fundada em 1886.
Há alguns dias o site do Ciência sem Fronteiras foi atualizado, incluindo inscrições para outros países.
Confira abaixo algumas informações específicas sobre Seguro Viagem para estes novos destinos:

Austrália
Conforme já comentamos aqui no blog neste post específico sobre a Austrália, o Departamento de Imigração do país exige a contratação antecipada do OSHC (Overseas Student Health Cover) que é o Seguro Saúde para Estudante Estrangeiro, obrigatório.
Porém, este plano é válido apenas dentro do país, e assim o estudante fica sem nenhum tipo de cobertura durante as mais de 24h de viagem entre o Brasil e a Austrália.

Coreia do Sul
De acordo com a cartilha disponibilizada no site do programa, estrangeiros residentes no país podem se registrar no Sistema Nacional de Saúde, caso não possuam um plano de saúde internacional - porém, este sistema não é gratuito. O estrangeiro deverá contribuir com um valor mensal, que se não for pago implica em não ter direito à assistência.
Além disso, assim como o sistema de saúde inglês, em alguns casos o usuário deverá pagar parte do valor da consulta ou do exame ao sistema sul-coreano. Outra particularidade é que se for direto a um hospital grande, sem passar antes por um posto de saúde local, o paciente deverá arcar com as despesas médicas - exceto em casos de emergência.


Finlândia
Embora não faça parte do eixo turístico mais tradicional, a Finlândia também faz parte do Tratado de Schengen, que exige a contratação de um Seguro Viagem com cobertura de 30 mil Euros em Assistência Médica para turistas. Já para solicitar o visto de estudante é necessário comprovar a contratação de um plano com cobertura de 100 mil Euros.

Reino Unido
Algumas questões específicas já foram abordadas no post sobre o Seguro Viagem para a Inglaterra
O Reino Unido não exige os mesmos 30 mil Euros do Tratado de Schengen, mas é interessante contratar um Seguro Viagem que tenha esta cobertura, pois assim é possível ir para qualquer país do Tratado sem precisar se preocupar com a negação da entrada no país de destino.

Nova Zelândia
O sistema público de saúde da Nova Zelândia é gratuito apenas para cidadãos locais, australianos e britânicos, para todas as outras nacionalidades o atendimento é cobrado. É um país que sofre a incidência de muita radiação ultravioleta e há casos de giardíase. Embora o Seguro Viagem não seja obrigatório, como na Europa, é extremamente importante contratar um diante destas informações.

Para todos os destinos, é sempre importante o estudante levar em consideração alguns pontos:
- Plano universitários muitas vezes cobrem apenas a cidade do campus e após o início do período letivo, por isso ter um plano que cubra o aluno desde a sua partida até o início da vigência deste outro plano é fundamental.
- A Anvisa recomenda que, mesmo para destinos onde possam ter acesso ao sistema público de saúde, os viajantes contratem seu Seguro Viagem particular.
- Na maioria dos casos, não é permitido aos estudantes do CSF retornar ao Brasil durante a vigência da bolsa. Sendo assim, amigos e familiares que forem visitar os bolsistas devem ter seus próprios planos, para evitar incômodos caso precisem de algum atendimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário